Sábado, 17 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1050
Menu

VOZ DOS OUVIDORES >

Novo ombudsman, coluna nova

13/06/2005 na edição 333

Byron Calame estreou no posto de ombudsman do New York Times no início deste mês. Ex-vice-editor administrativo do Wall Street Journal, ele é o segundo editor-público do jornal – cargo criado pouco depois, e por causa, do fiasco Jayson Blair. Em sua primeira coluna [5/6/05], Calame faz uma breve apresentação de si próprio e do que espera fazer nos próximos meses como representante dos leitores do Times.

O novo ombudsman elogia o trabalho de seu antecessor, Daniel Okrent. Para ele, Okrent conseguiu, corajosamente, estabelecer a independência essencial para o bom funcionamento do cargo e dissecou, de maneira elegante, algumas das maiores questões ligadas à integridade jornalística. Com esta base, Calame pretende trabalhar sobre a transparência do jornal. ‘Eu espero levantar as cortinas do Times para permitir que os leitores tenham uma visão mais clara do funcionamento da redação’, afirma.

Após 40 anos no Journal, Calame havia se aposentado em dezembro do ano passado. Convidado a assumir o posto no Times, ele conta que ficou receoso de abandonar os prazeres do descanso da aposentadoria, como passar uma manhã no meio da semana visitando um museu praticamente vazio. Mas logo o vislumbre deste descanso não pareceu tão indispensável quando comparado à rara oportunidade de representar os leitores do Times e escrever livremente no jornal sobre suas práticas jornalísticas.

Sobre seu novo local de trabalho, Calame também tem elogios: ‘[O Times] conserva um lugar especial no jornalismo americano e tem sido um padrão para muitos outros jornais. Eu o admiro por seus passos agressivos – incluindo a criação do cargo de editor-público – para consertar o estrago feito à sua reputação. Me sinto honrado em ser considerado capaz de representar vocês, os leitores.’

Nos próximos meses, com a palavra ‘transparência’ em destaque no seu trabalho, Calame tentará instalar no espaço quinzenal que lhe é dedicado no jornal impresso três inovações. Primeiro, quer passar a publicar mais cartas e e-mails de leitores, com respostas dos editores e repórteres envolvidos nas matérias citadas. A idéia é focar naquelas mensagens que levantem questões sobre deslizes jornalísticos graves ou histórias substanciais.

Segundo, pretende apresentar entrevistas em formato pergunta e resposta com editores importantes sobre como estes conduzem seu trabalho. O objetivo é ajudar os leitores a compreenderem melhor o funcionamento de alguns dos cargos mais significantes na redação. Ainda nesta linha, Calame quer promover – e publicar o resultado de – pequenos debates com editores e repórteres. ‘Pedirei que dois ou três editores e repórteres se reúnam comigo para uma mesa-redonda’, explica ele. A discussão poderá ser sobre alguma matéria de grande destaque ou sobre práticas jornalísticas específicas, como o uso de fontes anônimas.

E a terceira proposta do ombudsman é tentar, ocasionalmente, comentar dois ou três tópicos diferentes na coluna, em vez de discutir apenas uma questão. Finalmente, Calame afirma que pretende fazer bom uso da internet. Quer postar mais e-mails de leitores – com as devidas respostas dos editores – no Web Journal, espécie de blog do editor-público (www.nytimes.com/byroncalame).

Todos estes projetos visam manter as três obrigações essenciais que Calame afirma ter com os leitores:

** Garantir que suas preocupações e críticas sobre o jornal sejam ouvidas.

** Monitorar a integridade jornalística do Times – que, para ele, está concentrada em precisão e clareza dos fatos e da percepção dos fatos.

** Prover acesso ao trabalho da redação, para que o público possa entender o processo jornalístico e para que os editores e repórteres lembrem-se de darem sempre o seu melhor.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem