Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

ENTRE ASPAS > FIM DE SEMANA, 16 E 17/10

O Estado de S. Paulo

19/10/2010 na edição 612

ELEIÇÕES

Moacir Assunção

Um ator para duas campanhas

O ator e diretor de cinema Beto Schulz, de 35 anos, que apresenta alguns programas de TV da campanha da petista Dilma Rousseff, inclusive um no qual compara a administração do presidente Lula com o governo de Fernando Henrique Cardoso, trabalhou para o rival da petista, José Serra (PSDB), há dois anos. Na ocasião, Schulz apresentou, em meio a muitas referências elogiosas, o programa de 20 anos do PSDB.

ReproduçãoO ator e diretor de cinema, Beto SchulzNo programa do PT, Schulz, nascido no Paraná em 1976, de descendência alemã, traça um paralelo entre os governos de Lula e FHC, afirmando que no do petista ‘foram criados 14 milhões de empregos com carteira assinada e somente 5 milhões’ no período do tucano na Presidência. ‘No tempo de FHC e Serra era assim: carro, coisa de rico, carne na mesa, coisa de rico, universidade, coisa de rico; futuro incerto, coisa de pobre. Luz na fazenda, coisa de rico, escuridão na roça, coisa de pobre. Para eles, apenas os ricos tinham direito de ser feliz.’

No programa do PSDB, há dois anos, a conversa era diferente: ‘Não faz muito tempo, o Brasil tinha milhares de crianças fora da escola. Aí, um partido feito por pessoas que dão importância à educação decidiu mudar esta coisa: fez a Bolsa-Escola, os remédios genéricos, um programa contra a aids que é referência no mundo. Esse partido é o PSDB’, afirma, diante de outros atores que seguram placas com letras formando os nomes dos programas.

Fé. Procurado pelo Estado, Schulz preferiu não comentar a contradição. Diretor, junto com Thiago Luciano, do curta Um dia de Ontem, estrelado pelo ator Caco Ciocler e premiado com a melhor trilha sonora no 33.º Festival Internacional de Cinema, realizado em São Paulo no ano passado, ele também dirigiu um filme de título emblemático para o estágio atual da campanha, em que se discutem temas ligados à religiosidade: O poder e a fé.

Segundo a sinopse, o filme conta a história de Matheus, um trabalhador nordestino que veio tentar a vida em São Paulo e se vê diante de um dilema entre o poder e a sua fé em Deus.

 

INTERNET

Crescimento da publicidade no Google impressiona Wall Street

Pelo menos 12 corretoras elevaram suas metas de preço para as ações do Google após a divulgação dos resultados trimestrais da companhia. Os dados mostram que o maior site de buscas do mundo conseguiu ampliar seus negócios para além das pesquisas na internet, diante da força que novos setores vêm ganhando na empresa.

O balanço do terceiro trimestre do Google, divulgado na quinta-feira, surpreendeu os analistas, que esperavam resultados bem menores, e levou as ações a saltarem 10% só na manhã de ontem. Corretoras como BofA Merrill Lynch e J.P.Morgan elevaram suas metas de preço para as ações e alteraram suas recomendações, sugerindo a compra.

O lucro do Google no terceiro trimestre cresceu 32% em relação a igual período de 2009, beneficiado pelo aumento na receita com publicidade e por resultados mais fortes em algumas de suas unidades menores. O lucro do trimestre foi de US$ 2,17 bilhões, ou de US$ 6,72 por ação.

Ontem, as ações do Google atingiram US$ 600 pela primeira vez desde janeiro.

Analistas afirmaram que o otimismo se deve ao crescimento nos setores de publicidade e móvel, algo que o mercado espera há tempos. ‘O principal negócio da companhia tem bons níveis de crescimento, mas o que vem se tornando mais interessante é o rali nos setores menos ligados a buscas’, disse o analista da Caris & Co, Sandeep Aggarwal

Temor. Investidores temiam que o Google, na busca por novas fontes de crescimento, estaria gastando demais em iniciativas como o sistema operacional para smartphones Android, aquisições e projetos de energia renovável.

Mas o Google divulgou que suas operações móveis e de publicidade geraram uma taxa anualizada de receita de mais de US$ 1 bilhão e US$ 2,5 bilhões, respectivamente, tirando o foco de seus investimentos em smartphones e projetos online. ‘Não há muito do que rec’lamar nos resultados do Google’, disse o analista Ross Sandler, da RBC Capital Markets, que elevou sua meta de preço das ações de US$ 600 para US$ 690.

Os negócios de publicidade online incluem o YouTube, o Google Display Network e as operações do DoubleClick. Já no setor móvel, a companhia opera buscas, aplicativos para celular e o AdMob.

 

Crise no Yahoo não será resolvida com aquisições

O Yahoo não resolverá sua crise de meia-idade por meio de uma nova transação. Grupos de capital privado estudam a possibilidade de adquirir o Yahoo, em parceria com ativos de uma empresa como a AOL ou a News Corp. Isso marcaria nova mudança para uma companhia que ajudou a definir a internet duas décadas atrás, mas não conseguiu acompanhar seu ritmo.

Nos últimos 12 meses, o Yahoo considerou aquisições ousadas, para manter sua posição de liderança quanto a novas tendências na web. Estudou adquirir a companhia de serviços de localização Foursquare e também o site Groupon, que organiza compras em grupo e está em forte ascensão.

Segundo um cenário que fontes dizem ter sido discutido pelos grupos interessados na compra, a transação dependeria de o Yahoo vender seus preciosos ativos asiáticos de alto crescimento, entre os quais sua participação de 40% no grupo chinês Alibaba e seus 35% no Yahoo Japan.

Desde que assumiu a presidência do Yahoo, em 2009, Carol Bartz vem se concentrando no conteúdo, desenvolvendo serviços de vídeo e adquirindo empresas como a Associated Content, que emprega freelancers para produzir artigos curtos e baratos.

 

Filipe Tavares Serrano

Fundador brasileiro do Facebook aparece e elogia filme

O brasileiro Eduardo Saverin, considerado um dos fundadores do Facebook ao lado de Mark Zuckerberg, publicou ontem um artigo sobre empreendedorismo como blogueiro convidado do site da CNBC. É uma das poucas vezes em que ele fala publicamente e a primeira vez que comenta o filme A Rede Social, que retrata a história da criação da rede social por jovens universitários de Harvard, entre eles, Saverin. O subtítulo do filme diz: ‘Você não junta 500 milhões de amigos sem fazer alguns inimigos.’ Saverin é um dos inimigos.

‘O que eu tirei de A Rede Social foi muito maior e mais importante do que saber se as cenas e detalhes do roteiro relatavam precisamente o que aconteceu’, escreve ele no texto para a CNBC. ‘O que me atingiu não foi o que aconteceu – e o que não aconteceu – ou quem disse o que, e por quê. A verdadeira lição para mim foi que o empreendedorismo e a criatividade, embora complicados, difíceis e duros de realizar, são talvez os aspectos mais importantes de um negócio hoje em dia e do crescimento da nossa economia.’

Junto do amigo de faculdade Mark Zuckerberg, Eduardo Saverin foi o primeiro investidor do Facebook. Mas, ao contrário do jovem que se tornou o 35.ª pessoa mais rica dos Estados Unidos, de acordo com a revista Forbes, Saverin tem preferido ficar fora dos holofotes, principalmente depois do processo contra o Facebook em 2009, que havia reduzido sua parte na empresa de 30% para 5% na época.

Ele evita declarações à imprensa, e o pouco que se conhece sobre ele está nos livros The Facebook Effect, de David Kirkpatrick, e Bilionários por Acaso, de Ben Mezrich – este último, deu origem ao filme que estreia em dezembro no Brasil.

O artigo assinado pelo brasileiro – ‘nascido no Brasil, criado em Miami e formado em Boston’, como ele diz – não relata detalhes de sua disputa com Zuckerberg e fala sobre a importância do empreendedorismo. Em uma das cinco vezes em que cita o Facebook ele diz: ‘Com o Facebook, construímos um produto porque acreditávamos nele e na sua utilidade, e queríamos que ele existisse.’

Ele ainda mostra como a vida de empreendedor tecnológico é repleta de desafios e, de certa forma, manda um recado para Zuckerberg: ‘No mundo digital, a dependência de uma carteira cheia (de dinheiro) para começar um negócio está diminuindo. Em vez disso, o que se torna mais importante é a ajuda de outras pessoas – o capital intelectual e o conhecimento para se tornar bem-sucedido.’

Ele termina o texto voltando a falar sobre o filme. ‘Assistir à versão de Hollywood sobre uma vida de faculdade é ao mesmo tempo humilhante e divertido, e espero que o filme inspire inúmeras outras pessoas a criar e a dar um salto para começar um novo negócio.’

 

TELEVISÃO

Cristina Padiglione

Debate da Globo terá plateia indecisa

A exemplo do que já ocorreu nos segundos turnos das duas últimas eleições presidenciais, em 2002 e 2006, o Ibope volta a selecionar eleitores indecisos para compor uma plateia de anônimos disposta a ficar sob a mira dos holofotes da Globo no próximo dia 29, quando está agendado o último confronto televisivo entre Dilma Rousseff e José Serra. A Globo definirá os temas a serem abordados na ocasião e, a partir desse repertório, pedirá que os indecisos elaborem perguntas antes do programa. O Ibope tem como tarefa elencar gente que ainda não decidiu seu voto por todo o Brasil. Amanhã à noite, Dilma e Serra se enfrentam em debate transmitido pela RedeTV!.

20 anos completará a MTV Brasil na próxima semana. A emissora entrou no ar em 20 de outubro de 1990, com o clipe de Garota de Ipanema, versão de Marina Lima

‘Tô com saudade dos resgates dos mineiros. Será que não tem mais nenhum lá, não?!’, comentário do casseta Hélio de La Peña (@lapena) no Twitter

Com cardápio indigesto, o Hipertensão voltou a bater a Record. O reality show da Globo registrou, na Grande São Paulo, média de 19 pontos de audiência e A Fazenda, com a eliminação de Geisy Arruda, teve 14 pontos. Já no Rio, os dois programas empataram em 17 pontos.

Na semana passada, A Fazenda bateu o Hipertensão em audiência e rendeu à Record 17 pontos de média ante 16 da Globo (números da Grande São Paulo).

The Event, série que o Universal Channel estreia na segunda-feira, às 22 h, fez barulho ao ser lançada nos EUA com enredo que une conspiração política e ficção científica. Após quatro episódios exibidos por lá, a série tem perdido audiência. Por enquanto, porém, The Event, que tem apenas oito episódios gravados, não corre risco de cancelamento.

Gwyneth Paltrow é a próxima na lista de convidados da série Glee. A atriz vai participar de alguns episódios do musical aqui exibido pela Fox.

Para manter o clima de suspense em torno de quem seria assassinado em Passione, o autor Silvio de Abreu chegou a mandar cartas para as outras quatro possíveis vítimas. ‘Escrevi para o Giane (Reynaldo Gianecchini): ‘Adorei ter trabalhado com você, mas infelizmente terei de te matar na novela’, relembra Abreu, às gargalhadas.

ESPN Brasil tour: em função da transmissão dos principais campeonatos de futebol europeus, pelo canal, Paulo Andrade, Leonardo Bertozzi e André Plihal seguem para Madri para o jogo Real Madi e Milan.

Mais três jogos agendados pela ESPN Brasil relacionados aos campeonatos Italiano, Inglês e Espanhol determinarão as agendas de viagens das equipes enviadas ao Velho Continente.

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo – Domingo

Folha de S. Paulo – Sábado

Estado de S. Paulo – Domingo

Estado de S. Paulo – Sábado

O Globo – Domingo

O Globo – Sábado

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem