Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

VOZ DOS OUVIDORES > AGÊNCIA BRASIL

Paulo Machado

08/12/2009 na edição 567

‘Estamos em 2009. Os diversos meios eletrônicos de informação convergem tecnológicamente visando o acesso à informação. Em uma agência virtual notícias essa convergência se manifesta basicamente por meio de sua estrutura tecnológica que permite a facilidade de acesso e navegação pelo seu conteúdo. O leitor David Franco escreveu: ‘Gostaria de parabenizar os responsáveis pelo site de notícias da Agência Brasil; está muito completo e com matérias muito relevantes. Gostaria de aproveitar a oportunidade para sugerir que o site fosse remodelado de forma a ficar mais rápido o carregamento, pois com a demora, muitos usuários acabam desistindo de usá-lo.’

A velocidade com que o conteúdo é carregado depende dos servidores (computadores dedicados de grande porte) que hospedam o site da ABr e que parecem estar sobrecarregados. Como disse o leitor isso pode estar prejudicando o acesso à informação fazendo com que muitos desistam de esperar até que as notícias, fotos, áudios ou vídeos apareçam na tela de seus computadores. Há dois tipos de soluções para esse problema: programas que rodam em plataformas menos pesadas e exigem menos processamento pelas máquinas ou equipamentos mais modernos, com maior capacidade de memória, processamento e armazenamento de informações. Ambas as soluções exigirão investimentos, mas se esse problema de estrutura tecnológica não for devidamente equacionado poderá se tornar um sério obstáculo para que o cidadão se informe por meio das páginas de sua agência pública de notícias.

Enquanto os investimentos não acontecem, há algumas soluções que dependem exclusivamente do processo de edição da notícia. É a isso que se refere a mensagem da leitora e jornalista Cleide Carvalho que escreveu: ‘Gostaria de passar uma sugestão. Que junto com a matéria estivesse links, com as fotos daquela matéria, infográficos e tudo mais que for relevante.’

A que Agência Brasil respondeu: ‘ Agradecemos as sugestões. Vamos avaliar as possibilidades técnicas no atual formato do site, que é de 2006.’ No entanto, a atual ferramenta de edição e publicação da ABr não depende de possibilidades técnicas. A sugestão da leitora pode ser perfeitamente atendida dentro dos atuais recursos disponíveis bastando para isso que se tome apenas algumas medidas editoriais.

Ao editar uma notícia o profissional pode adicionar uma referência ao assunto do qual ela trata fazendo com que o sistema automaticamente busque e anexe àquela matéria outras publicadas recentemente sobre o mesmo assunto – são os chamados links para outras notícias, cujos títulos aparecem no lado direito da tela e que permitem navegar pelo assunto. Imagens, infográficos, galerias de fotos, coberturas temáticas e grandes reportagens também podem ser facilmente adicionadas à notícia utilizando-se o mesmo procedimento.

Uma dificuldade um pouco maior reside na disponibilização de arquivos contendo áudio e vídeo pois necessitam de um tratamento específico pela equipe de informática antes de serem publicados – nada impossível de ser realizado, simplesmente um pouco mais trabalhoso pois exige um passo a mais antes de sua edição. Diversas matérias especiais em formato multimídia já foram publicadas pela ABr, desde 2006, utilizando de maneira inédita os recursos tecnológicos disponíveis na atual plataforma. Não utilizá-los é simplesmente privar ao leitor do acesso a uma parte da informação já disponível.

Mas nem sempre os links funcionam como deveriam. Sobre isso escreveu o leitor Claudio Serra: ‘Tentei acessar este link abaixo e não tive o acesso permitido: www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/10/20/materia.2009-10-20.7431914217/view. Gostaria de saber por que esta noticia encontra-se bloqueada para visualização do publico.’ Esta Ouvidoria percorreu o mesmo caminho feito pelo leitor e constatou que o acesso à matéria cujo título encontrava-se apensado a outra sobre o mesmo assunto era ‘PMs mortos na explosão de helicóptero não usavam roupas anti-chamas, denuncia policial’, levava à página de administração da ABr. e não à matéria em si.

A princípio, a Agência respondeu: ‘Desconhecemos o caso citado pelo leitor.’ Diante desta resposta a Ouvidoria insistiu em que o acesso à matéria estava bloqueado, exigindo login e senha para acessá-la. Ao que a Agência, 30 dias depois, respondeu: ‘O link simplesmente está errado, não existe. Se não existe, pode cair na página de login por acidente.’ Argumentamos que os links são gerados pelo sistema e se o leitor teve acesso a ele então ele existe, ou pelo menos existiu entre os dias 20 e 23 de outubro, período no qual o leitor enviou sua mensagem e ela foi repassada a ABr. Continuaremos aguardando uma resposta que atenda ao que o leitor perguntou, afinal a transparência é uma das qualidades que leva à credibilidade Agência Brasil e uma obrigação do serviço público.

Até a próxima semana.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem