Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1058
Menu

ENTRE ASPAS >

Rita Célia Faheina

14/07/2009 na edição 546

‘Após completar seis meses no cargo (seis meses e quatro dias para ser mais precisa), peço hoje desculpas aos leitores por não trazer aqui reclamações de matérias publicadas nas edições da última semana. Quero lembrar alguns itens da minha função como ombudsman – que tem mandato de um ano – e explicar os procedimentos adotados, neste período, nos comentários internos e nesta coluna.

Este espaço dominical é prioritário para dar respostas aos leitores sobre os mais corriqueiros problemas que eles me comunicam durante a semana. O espaço da coluna é pequeno, então escolho o tema (ou temas) que foram mais abordados por telefone e e-mails durante a semana. Por motivos técnicos, há mais de um mês o fax (3255 6162) não está funcionando.

Prioritariamente, repito, decidi dar espaço externo aos leitores através desta coluna. Por isso, sempre cito o nome de alguns quando me refiro às suas reclamações. Há quem opine que, neste espaço, deveriam constar apenas as críticas e análises da ombudsman. Decidi que não. Prefiro concedê-lo aos leitores, embora muitos peçam para não serem identificados.

Não é que só responda as reclamações pela coluna. Diariamente, as envio também com a análise de todo o jornal (todo mesmo, incluindo os Populares e as publicações da diretoria comercial) – onde há um posicionamento da ombudsman sobre as matérias diárias (críticas, sugestões, correções, cobranças, elogios). Também envio aos funcionários do jornal e Portal Online, além da TV O POVO e da Rádio O POVO/CBN os e-mails a eles destinados. Solicito sempre que respondam e me deem um retorno. Estas solicitações têm sido atendidas prontamente, fora alguns núcleos da Redação que demoram mais a responder ou deixam de fazê-lo.

A partir do dia oito de janeiro passado até a última quarta-feira, 8, foram feitos 180 comentários internos, além dos comentários extras (quando há um assunto relevante e não deu tempo incluir no comentário principal). Quinta-feira e sexta-feira passadas, participei do Seminário Internacional de Ouvidorias-Ombudsman Brasil-Canadá promovido, em Fortaleza, pela Ouvidoria-Geral da União, por isso deixei de fazer as análises matinais.

No mesmo período, também foram publicadas 27 colunas aos domingos (contando com a de hoje). A maioria das reclamações se refere à demora no atendimento pela Central de Leitores (3254 1010), à publicação de comentários desrespeitosos e até com palavrões no Portal Online e, principalmente, à frequência de erros gramaticais. Os leitores reclamam demais das incorreções no conteúdo das matérias.

E-mail insistente

Embora tenha dito que não iria falar de reclamações, não posso deixar de me referir a um leitor que quase diariamente envia e-mails sobre a colunista Suzzy Bandeira. O leitor Aurílio de Sá Barreto definitivamente não gosta da coluna publicada aos domingos no caderno GOL! A Suzzy começou a escrever no O POVO na Copa do Mundo de 2002. Naquela época só fazia comentários. Sua coluna estreou no dia 26 de junho de 2005 e segue sempre aos domingos. É muito comentada pelos internautas que até reclamam quando a coluna não é publicada.

Vejam a opinião de alguns: ‘Suzzy, sua coluna é uma das melhores de se ler nos jornais locais. Não perco uma’, afirma o Nilton. ‘Excelente comentário. Uma crônica jornalística com humor e inteligência’, completa Aníbal Dantas. ‘Suzy, continue sempre irreverente e divertida, pois de seriedade futebolistica já chega nas mesas redondas desse País’, arremata Eroni Fonseca.

Mas para o Aurílio, a Suzzy é uma boba, ousada, que até destrata os leitores. Assíduo em seus e-mails, ele diz não entender como um jornal quase secular como O POVO (está com 81 anos) não exclui a Suzzy Bandeira de suas edições. ‘Afinal esse Suzzo ou Suzzy tem tanto prestigio assim que escreve o que quer, além de ofender os leitores?’ Pergunta Aurílio e a colunista responde:

‘Pedi mais de uma vez ao Aurílio, já que não gosta da forma como escrevo, que deixasse de ler a coluna. Ele não aceita e quer porque quer que eu deixe de ser colunista. Ele vem perseguindo isso (retirada da coluna) há mais de três anos. Ex-ombudsmen como o Plínio e o Paulo Verlaine, também conhecem a história.

Futebol é um assunto melindroso e reconheço que a forma como escrevo dá margem a inúmeros questionamentos. Sou uma torcedora apaixonada pelo futebol e vibro com nossos times quando eles estão bem. E esculhambo quando não vão bem. Alguns gostam, outros não. Tem torcedor do Ceará que me critica quando falo mal do Ceará, e me acusam de ser Fortaleza. Já os tricolores, quando falo mal do time, garantem que sou alvinegra.

Os leitores merecem respeito e tenho respeitado todos os que me escrevem. Apesar de nem sempre concordar com o que falam, mas esta é a forma que decidi – ou que sei – escrever. Respeito quem não gosta e estes devem ser muitos. Espero que sejam em número inferior àqueles que gostam. Com o Aurilo, infelizmente, a relação há muito deixou de ser respeitosa, já que a falta de respeito dá o tom de suas mensagens. Reconheço que já me excedi com ele. Desculpei-me. Por isso e dei por encerrada a questão’’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem