Terça-feira, 13 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

ENTRE ASPAS >

Rita Celia Faheina

10/11/2009 na edição 563

‘Essa pergunta é o título do e-mail enviado pelo assinante Francisco Pereira da Silveira cada vez que o seu jornal atrasa ou não é entregue em sua residência. Ele diz que pelo menos um dia na semana fica sem uma edição do O POVO e reclama do atendimento na Central de Leitores. Silveira fica aborrecido cada vez que liga para o número 3254. 1010 porque demora a ser atendido ou, segundo ele, cai a ligação. As reclamações dos assinantes se tornaram rotina às segundas-feiras nestes 10 meses de mandato como ombudsman. Além das gravações na secretária eletrônica, há os que ligam para dizer que ficaram sem receber um dos exemplares do O POVO durante o fim de semana. Dona Letice Ferreira, por exemplo, diz que já passou um fim de semana inteiro sem ler o jornal embora esteja em dia com o pagamento da sua assinatura. ‘Pago, mas não recebo os exemplares todos os dias’.

As pessoas que fizeram assinaturas de fim de semana (sábado, domingo e segunda-feira) e que deixam de receber o jornal pelo menos num desses dias exigem uma explicação. ‘Durante duas semanas, deixei de receber O POVO nas segundas-feiras’, reclama Francisca Sílvia Brasil que diz não ter conseguido atendimento na Central de Leitores para pedir explicações.

Indignada, outra assinante disse que não tinha tempo a perder, pois só ouvia música quando tentava ligar para o número do assinante. ‘Como não nos atendem, temos de ligar para a ombudsman’, justificam José Ferreira e Liduína Vidal, dois assinantes que também disseram não ter recebido o jornal regularmente no fim de semana.

O ideal seria que casos como esses fossem resolvidos pelos que trabalham na Central de Leitores e não o assinante ter de ligar para a ombudsman a fim de cobrar o seu jornal que não chegou na data certa. Os assinantes reclamam ainda que, quando conseguem um contato por telefone, informam que o jornal só poderá ser reposto até o meio-dia. Depois disso, só no final da assinatura o que não é justo porque estão pagando pela edição diária, então por que estipular o horário para entregar o jornal que está atrasado?

O diretor de Mercado Leitor, Victor Chidid explica que a demora no atendimento da Central ocorre em alguns momentos de pique ou em caso de grandes atrasos de impressão do jornal. Segundo ele, pelos relatórios diários, ‘não tem enxergado estes estrangulamentos, mas posso estar com problema na geração destes relatórios. Vou verificar’. Disse que daria um retorno, após essa averiguação.

Quanto ao horário de reposição do jornal, Victor informou que tem que ser limitado, ‘pois não podemos dispor dos nossos funcionários que fazem a reposição além da jornada de trabalho normal deles. Este horário foi estabelecido em função de estatísticas das solicitações de reposição. Quando a solicitação é feita após o horário, bonificamos o assinante com mais um exemplar ao final da assinatura e este procedimento é explicado aos assinantes’.

Conclui dizendo que o trabalho do Mercado Leitor é com o intuito de não haver falhas. ‘Mas temos vários imprevistos que podem acontecer na madrugada, como o horário de impressão, chuva, quebra da bicicleta, assalto ao entregador, falta do entregador, claro que os assinantes não tem nada a ver com isso, mas é a realidade de qualquer jornal. Temos como indicador de desempenho desta atividade um percentual de 0,1% de erro, ou seja, a cada 1.000 entregas, admitimos 1 reclamação; este índice é acompanhado por todos nós diariamente, e estamos sempre dentro deste percentual’.

Ainda o Rubinho

Mais uma vez o piloto brasileiro de Fórmula 1, Rubens Barrichello, foi injustiçado em matéria divulgada por O POVO. Depois de dizer que Rubinho’ iludiu o torcedor brasileiro’ e’ voltou a fazer das suas’ (edição do último dia 19 de outubro) o título da matéria do GOL! de segunda-feira passada, na página 4, diz que ‘nem pra vice ele serve’. Como o jornal pode afirmar isso?

Leitores disseram, acertadamente, que o título da matéria é depreciativo, grosseiro, sem ética. ‘Até parece que o piloto já não foi, por mais de uma vez, vice-campeão mundial de Fórmula 1’, lembra um assinante. Depois de perder o título para Jenson Button, no GP do Brasil, Rubens Barrichello perdeu também o vice-campeonato da F-1 para Sebastian Vettel, no GP dos Emirados Árabes, em Abu Dhabi, última etapa do ano, domingo passado. Por isso, temos o direito de dizer que ele é inútil, imprestável por não ter conquista o vice- campeonato? Mais uma vez, houve desrespeito, por parte do O POVO, com relação ao piloto.

A explicação do núcleo

O editor-adjunto do Núcleo Cotidiano, Rafael Luís, enviou e-mail à ombudsman com a seguinte justificativa: ‘Sobre a questão, minha intenção foi fazer uma leitura crítica para a derrota do Rubens Barrichello, que havia perdido o título mundial três semanas antes e deixou escapar também o vice-campeonato naquele domingo. Discordo da avaliação de alguns de que o título tenha sido uma agressão ao piloto, mas peço desculpas aos leitores que tenham se sentido ofendidos’.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem