Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1016
Menu

VOZ DOS OUVIDORES >

Tânia Alves

Por Leticia Nunes em 26/05/2015 na edição 852

No mundo virtual, os comentários abertos aos leitores viraram porta de entrada a fim de que impostores atuem para incitar o ódio e a discórdia, postando conteúdos que não respeitam o mínimo de civilidade. Por isso, as empresas precisam tomar precações em relação a eles. Só Ignorá-los não é a melhor política, pois chega a ser chocante o nível desprezível de algumas postagens. Em publicando, as empresas de comunicação podem ser responsabilizadas e acusadas de conivência.

Sobre o assunto, leitor enviou email, na semana passada, reclamando da dificuldade que teria em postar comentários em matérias publicadas no O POVO Online. “De vez em quando algumas mensagens não são aceitas, pois o site do jornal diz que há ataque pessoal, calúnia, difamação. Tentei colocar na coluna do Valdemar Menezes (do último dia 17) e não consegui concluir meus comentários”, escreveu. O Portal O POVO Online tem política própria para a publicação de comentários. Não são publicados textos, por exemplo, que “contenham ataques pessoais, difamação, calúnia, ameaça e discriminação e demais crimes previstos em lei”. O assunto foi abordado na coluna “Ombudsman” no dia 8 de março passado.

Equipe avalia

Fui verificar na referida coluna. O comentário do leitor estava publicado. A reclamação não procedia. Ele então enviou email destacando agora a demora para disponibilizar o conteúdo. Quanto ao assunto, faço um esclarecimento a partir de explicação enviada pela editora-executiva do Núcleo Portal O POVO Online, Juliana Matos Brito. A moderação dos comentários das matérias postadas no Portal é feita por revezamento de uma equipe formada por três editores e dois repórteres. A proposta é zerar diariamente a caixa de mensagens.

Mas, de acordo com a editora, em dias com maior número de participação de leitores – “chegam milhares de mensagens todos os dias” – ou de acúmulo de tarefas por conta do noticiário, pode acontecer de não se conseguir ler todas elas. Mas, geralmente, se consegue. Para os conteúdos postados nas contas do Twitter ou Facebook não há moderação. Entra automaticamente. Com uma ressalva, ao escrever na opção “anônimo”, o post é remetido para avaliação da equipe. “Os comentários que vão para essa área, que trazem palavrões, grosserias ou insultos são deletados. Os demais são liberados, normalmente”.

A moderação é necessária para evitar agressões. Quando os comentários são feitos dentro de princípios de respeito e do debate de ideias, não tem porque não se publicar. É uma das formas de interação mais eficaz e moderna entre os veículos e o leitor das mais diversas plataformas. É uma oportunidade única para que ele expresse livremente a sua opinião. Acredito que com mecanismos novos, a intolerância deixará de permear os comentários e eles serão mais consistentes e menos inadequados.

Jornal chega atrasado

O compromisso das empresas que trabalham com jornal impresso matutino inclui a obrigação de fazer chegar cedinho até o assinante o seu exemplar diário. Quando este pacto falha ele reclama e com toda razão. Foi o que ocorreu na segunda-feira passada, 18, quando um problema técnico no industrial atrasou a entrega do jornal. Muitos leitores telefonaram para deixar marcado o seu aborrecimento. Esta não é a primeira vez que um ombudsman do O POVO aborda, neste espaço, os atrasos do jornal. E entendo que nem serei o último a tratar do tema, pois se trata de imprevisto. No entanto, é um problema que precisa ser encarado de frente pela empresa. Dar uma resposta eficiente ao leitor diante do inesperado, como a quebra de uma máquina que resulta num atraso do jornal, é o que se espera de um grupo que busca a satisfação do leitor. Enviei email para a diretoria de Mercado Leitor e a gerência de Qualidade Call Center para saber que ações foram tomadas para tentar minimizar danos aos assinantes. Não recebi retorno.

Mais espaço para “O POVO Notícias”

O POVO Notícias ganhou mais espaço na TV O POVO desde o último dia 18. O programa, que vai ao ar de segunda à sexta-feira, às 19 horas, e tem apresentação de Leandro Duarte, passou a ter duração de 15 minutos. Antes era apenas cinco minutos. Embora o noticiário ainda precise de alguns ajustes, muito natural na semana da estreia, é louvável a iniciativa de aumentar o tempo de apresentação com mais jornalismo e a interação entre TV e jornal.

***

Tânia Alves é ombudsman do jornal O Povo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem