Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

VOZ DOS OUVIDORES > UOL

Tereza Rangel

12/02/2008 na edição 472

‘Em novembro, uma adolescente ficou presa numa cela com homens no interior do Pará, onde foi estuprada seguidamente. O UOL ignorou a notícia em sua home page por dias. Mesmo quando a Folha de S.Paulo enviou repórter especial e fotógrafa à região (já com atraso), o UOL veiculou o caso com discrição e sem foto, fora do espaço nobre do alto de sua página principal. A notícia só ganhou destaque quando vazou foto da garota dentro da cela, motivo de crítica deste blog, que considerou a escolha sensacionalista.

Destaque e legenda levam a crer que houve estupros, como no Pará

Hoje, um fato similar mereceu o destaque principal da foto do portal. A história foi revelada pelo jornal ´Correio Braziliense´. A Agência Brasil, a agência de notícias do governo, repercutiu o caso e divulgou foto. O UOL valeu-se do material da Agência Brasil para dar destaque durante boa parte da tarde, com a legenda na ´menina de 14 anos é presa com 110 homens em Goiás´.

Caso de Planaltina foi divulgado pelo jornal ´Correio Braziliense´

Problemas:

1. o jornal ´Correio Braziliense´, que deu a história em primeira mão, não foi citado em nenhum momento;

2. destaque e legenda davam a entender que a adolescente de Goiás dividira cela com homens, como no Pará, o que não aconteceu. Até agora não há notícia sobre abuso sexual. O que se sabe é que a adolescente em Planaltina dividiu cela com três mulheres adultas em prédio com 110 homens;

3. parece-me que o UOL precipitou-se ao dar tanto destaque ao caso baseado apenas em texto (falho) da Agência Brasil. Não teria sido mais prudente ter apuração própria para só então noticiar? O texto do UOL, completo, foi ao ar apenas no final da tarde.

4. o caso de hoje é grave e merece acompanhamento. Mesmo assim, fica a sensação de que o UOL usou dois pesos e duas medidas na edição de novembro e na de hoje. Coerência editorial faz bem.

***

F1 na temporada passada (7/2/08)

A pouco mais de um mês para a abertura da temporada 2008 da Fórmula 1, o UOL está parado no tempo. Seu site, apesar de ter notícias quase diárias sobre o mundo da F1, ainda mantinha até a manhã de hoje seu foco para a temporada passada. Na home page, uma tabela grande com o resultado do GP do Brasil, ocorrido em outubro de 2007 (quase quatro meses atrás). Na lateral, outra grande caixa, com a classificação por pilotos e equipes no ano passado. No menu, a lista de pilotos, equipes, provas, tudo para a temporada já encerrada.

Já se conhecem as equipes para a temporada de 2008. Também já está definido o calendário de prova do ano (o GP do Brasil vai acontecer no dia 2 de novembro). Nada disso é encontrado no site do UOL facilmente. A redação de esportes do UOL diz que preferiu ter todas as informações (incluem-se aí as fotos dos novos carros de cada equipe) para pôr o site atualizado no ar. Diz que isso acontecerá nas próximas semanas.

Parece-me um erro. O público, para quem é feito o portal, já está reclamando. O fã de automobilismo gostaria de ver as informações atualizadas. Os principais concorrentes já focam no campeonato deste ano: Globo.com; Terra e iG não esperaram para ter todas as informações disponíveis para colocar o novo site no ar.

Terra, que disputa audiência com UOL, já está com seu site atualizado

Na Web basta um clique para que o internauta encontre outro site que lhe interesse. Bastam algumas visitas para que mude a preferência. O UOL deveria fazer todos seus esforços para não perder mais pontos no Ibope na área esportiva.

***

Apuração aos trancos (6/2/08)

O momento mais tenso da cobertura pela Internet do Carnaval é o da apuração dos votos para as escolas de samba do Rio de Janeiro. É o momento ´cereja do bolo´, quando sairá a grande campeã da festa. É também um momento de grande interesse por parte do público, de audiência concentrada. Só para se ter uma idéia, durante a apuração hoje houve 15 vezes mais cliques na manchete do que quando o assunto era o resultado das prévias eleitorais nos EUA.

Neste ano, em cerca de 1 hora e 25 minutos foram lidas 480 notas. Na média, portanto, cada nota foi divulgada a cada 10 segundos. Atualizar o placar sem erro e com rapidez é uma tarefa extenuante. A equipe que o atualizou está de parabéns. O UOL foi mais rápido e não ficou fora do ar, como alguns de seus concorrentes. O desenho do placar idealizado pelo UOL era bonito e de fácil entendimento. Mesmo superior à concorrência, o resultado final, porém, ficou a desejar.

O UOL, para preservar seus servidores e não ´capotar` como em outros anos, impôs um tempo mínimo para que o ´placar em tempo (ir)real` fosse atualizado para os internautas: 30 segundos. Isso fez com que a atualização não fosse visível pelo internauta nota a nota, como se espera da Internet. Ocorreu aos soluços, aos trancos.

Além disso, o portal decidiu fazer a atualização de quem liderava a corrida a cada nota dada, e não em blocos de nota de cada juiz. Com isso, compararam-se ´bananas a abacaxis´. Esse critério fazia com que escolas com mais notas (e não notas mais altas) liderassem o placar. Assim, embora a manchete do UOL anunciasse (corretamente) desde o início a liderança da Beija-Flor, o placar mostrava na maioria das vezes a Salgueiro na frente. Isso decorria do fato de a Beija-Flor ser a última a receber as notas. Muitas vezes, ´ficava para trás no placar (com notas a receber)´, apesar de ter liderado a disputa o tempo todo.

Home page do UOL esquentou o placar e anunciou liderança da Beija-Flor

Como assim? Em sétimo? Demora em atualização e critério para somar notas deixavam a Beija-Flor atrás no placar, quando sempre liderou

Como a cada nota o placar do UOL reclassificava as escolas e mudava seu lugar na página, foi difícil saber quem acabara de receber nota e quem seria o próximo. Se mantivesse a lista das escolas por ordem de desfile e por ordem de notas (São Clemente, Porto da Pedra, Salgueiro, Portela, Mangueira, Viradouro, Mocidade, Unidos da Tijuca, Imperatriz Leopoldinense, Vila Isabel, Grande Rio, Beija-Flor), ficaria mais fácil saber onde estava a apuração. Como o lugar da escola mudava a cada nota, tornou-se impossível acompanhar o placar simultaneamente pela Internet e pela televisão.

A cada momento, cada escola ocupava um lugar diferente no placar, dificultando sua leitura. Aqui a última colocada está à frente da 1ª

Sugestão para o ano que vem: manter ordem das escolas pela ordem dos desfiles; fazer um placar nota a nota, com atualização de fato online; dar a classificação sem ficar mexendo o lugar da escola no placar; fazer a soma de notas para a classificação por juiz, para que o número de notas que cada escola recebeu seja igual, deixar para o final da apuração a ordem de classificação.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem